top of page

A Literatura Infantil PARA, COM e NA Escola

A relação entre a Literatura Infantil e a escola foi breve e diretamente comentada em artigos anteriores, nos quais falei sobre o contexto histórico do surgimento da primeira e da transformação da segunda.



Retomo, agora, de forma mais demorada, essa relação, por entender ser importante e determinante para o desenvolvimento do tema.


Concordo com Ricardo Azevedo ao sugerir que “se a escola, no Brasil, tem sido praticamente o único mediador da leitura e da formação de leitores, convém discutir seriamente como ela vem tratando os livros de literatura infantil” (AZEVEDO, 2005a, p. 33).


Como pudemos observar, a relação entre o texto literário para criança e a escola remonta o surgimento do gênero e não se modificou no decorrer do seu crescimento e desenvolvimento.


A transformação da escola após a ascensão do modelo familiar burguês não foi fortuita. A escola institucionalizou-se à medida que a burguesia convocou-a à formação e à “manipulação da criança, conduzindo-a ao respeito da norma vigente, que é também a da classe dominante” (ZILBERMAN, 2003, p. 23).


A Literatura Infantil não ficou de fora dessa convocação. Daí, a sua relação com a escola estar profundamente ligada ao seu surgimento.


À medida que surgiram, os primeiros livros voltados para a criança consistiam, basicamente, na transmissão de valores manipuladores para a disseminação da norma que vigorava na época.


Além disso, Zilberman (2003) recorda-nos que os primeiros livros para crianças foram escritos por pedagogos e professores, que o faziam com intuito educativo.


Ou seja, a Literatura Infantil vem impregnada de pedagogismo desde o seu nascimento, embora não seja essa a sua natureza e função.


Esses fatos, embora sejam apenas a ponta do iceberg, mostram a delicada relação entre o gênero e a instituição.


Isso porque a Literatura Infantil é, independente do destinatário ou do adjetivo que a acompanha, Literatura e, como tal, tem natureza artística, a quebra com o normativo e o pedagógico.


Para conversarmos um pouco mais sobre a Instituição e o texto literário para a criança, usarei três proposições ― PARA, COM e NA ―, que auxiliarão na compreensão dessa relação e na conscientização do importante papel do professor para que ambas ― escola e Literatura Infantil ― cumpram o seu papel sem macular a natureza e a função uma da outra.


A Literatura Infantil PARA a Escola


Ao acompanhar o contexto histórico do surgimento da Literatura Infantil, observo que fatos como a ascensão da família burguesa, o surgimento do sentimento da infância e a institucionalização da escola não somente marcaram o gênero, mas desencadearam o seu nascimento.


Podemos dizer que, se os primeiros livros escritos para crianças não foram feitos para a escola, foram criados para a manutenção da ordem vigente, para a formação de indivíduos capazes de obedecer aos interesses burgueses e salvaguardá-los.


Tais livros vieram marcados por um pedagogismo e um didatismo que, até os dias atuais, faz com que a Literatura Infantil não seja bem aceita por alguns críticos literários.


Cabe ressaltar que, de forma equívoca, e desde o seu surgimento, a literatura é utilizada por alguns como um instrumento de manipulação e letramento da criança apenas. Ou seja, é como se o texto literário, diferente do que é, fosse escrito para a escola e não para a criança, rompendo, assim, com a sua natureza.


Azevedo (2005a) alerta-nos para o fato de que utilizar os textos literários como simulacros de livros didáticos, para o ensino da língua ou para ilustrar temas científicos, significa reduzir e descaracterizar a literatura, fazendo com que perca sua essência e deixe de fazer sentido.


Estes fatos tornam problemáticas as relações entre a literatura e o ensino. De um lado, o vínculo de ordem prática prejudica a recepção das obras; o jovem pode não querer ser instruído por meio da arte literária; e a crítica desprestigia globalmente a produção destinada aos pequenos, antecipando a intenção pedagógica, sem avaliar os casos específicos. (ZILBERMAN, 2003, p. 16).

Contudo, não se pode desejar a total separação da Literatura Infantil e ensino, tendo em vista que é a escola o lugar privilegiado para a utilização e o fomento da leitura dos textos literários, como veremos a seguir.


A Literatura Infantil NA Escola


Para refletir acerca da presença e importância do texto literário para a criança na escola, é preciso considerar, com Azevedo que:


Em tese, livros de ficção e poesia deveriam ser encontrados em livrarias e bibliotecas, escolhidos espontaneamente pelo leitor e lidos em casa ou em qualquer lugar. Infelizmente, temos, no Brasil, poucas bibliotecas, poucas livrarias e livros caros para os padrões de renda da maioria da população. (...) Nesse contexto adverso, a escola tem sido, indiscutivelmente, o grande e mais importante espaço mediador da leitura e da formação de leitores. Nela, grande parte das pessoas tem sua primeira chance de estabelecer contato com textos de ficção e poesia. (AZEVEDO, 2005a, p. 25-26).

Somo a isso o fato de ser “a sala de aula um local privilegiado para o desenvolvimento do gosto pela leitura, assim como um campo importante para o intercâmbio da cultura literária.” (ZILBERMAN, 2003, p. 16).


Assim, a escola é, hoje, a esperança para formação de um país leitor e, consequentemente, reflexivo, crítico e desenvolvido.


Dito isso, não se pode, com a desculpa de valorizar o caráter artístico e estético da Literatura Infantil, excluí-la do ambiente de ensino, pelo contrário.


Além disso, veremos o quanto é importante para o leitor em formação estar cercado de pessoas que lêem.


Ora, numa visão geral, sabemos que as casas não têm mais espaços para a leitura, menos ainda a criança é cercada de leitores. “Existe, porém, uma segunda chance: a escola. O momento e espaço da salvação da literatura, da possível descoberta e formação do futuro leitor.” (MACHADO, 2001, p. 117).


Na escola, e não a serviço dela, a Literatura Infantil, como arte, inútil ― “no sentido de que, objetivamente falando, não serve para nada e nem pretende ensinar nada” (AZEVEDO, 2008, p.6) ― é fundamental e atualmente necessária.


Veremos a seguir que, com a escola, o texto literário para a criança assume outra missão. Certamente, ela difere da assumida anteriormente, que era a de moldar as crianças, segundo a norma vigente na época da ascensão da família burguesa.

A Literatura Infantil COM a Escola


A Literatura Infantil com a Escola (professores, funcionários, gestores, comunidade, pais, alunos e colaboradores) são, a exemplo do que aconteceu com o surgimento das primeiras obras escritas para as crianças, convocadas para uma missão.


Essa missão, porém, quase oposta à primeira, consiste no rompimento da dominação da criança pelo adulto. Ou seja, há que se romper com a formação de um ser passivo, não reflexivo e totalmente inconsciente e impotente diante de sua condição humana.


Além disso, enquanto instituições, a escola e a literatura podem provar sua utilidade quando se tornarem o espaço para a criança refletir sobre sua condição pessoal. Pois de um modo ou de outro, escola e literatura infantil têm sido o que restou para a infância, após o êxito no seu processo de ilhamento. (ZILBERMAN, 2003, p. 24-25).

Para essa missão, o professor precisa assumir sua posição de vanguarda e fundamental importância. Pois é ele o principal agente tanto da Literatura Infantil, enquanto leitor e mediador, quanto da escola, enquanto formador.


Me diga, qual sua opinião?


Um abraço,


Vivi


Importante: Para conferir toda a referência bibliográfica dos meus textos técnicos, acesse aqui.


24 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3 Comments


Guest
May 05, 2022

Que sejamos cada vez mais propagadores da literatura infantil para, com e na escola!!!!

Like

Raquel Holanda
Raquel Holanda
May 04, 2022

Amei!

Like

Guest
May 04, 2022

Muito muito bom!

Like
#fotosHD 76.jpg

Olá, que bom ver você por aqui!

Se você chegou aqui pela primeira vez, conheça um pouco sobre mim aqui. Eu quero conhecer você também, pode usar os comentário para isso!

Fique por dentro de todos os posts

Obrigado por assinar!

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest
bottom of page